Rejuvenescimento facial

Minilifting/ Ritidoplastia rejuvenescimento facial

Esta é uma das cirurgias mais procuradas pelos(as) pacientes, num consultório de cirurgia plástica. Trata-se de conduta que permite resultados bastante naturais desde que cirurgião e paciente discutam detalhadamente sobre as possibilidades de resultado, durante o pré-operatório.

A cirurgia plástica visa melhorar o aspecto da flacidez, rugas, sulcos, etc., dando assim um rejuvenescimento à face. As cicatrizes, entretanto, serão permanentes, apesar de irem se tornando cada vez menos visíveis com o decorrer do tempo.

Enquanto isto não ocorre, recursos cosméticos como a maquiagem e penteados adequados disfarçam perfeitamente o inconveniente criado pelas cicatrizes recentes. Além disso, cada paciente comporta-se diferentemente de outro(a), em relação à evolução das cicatrizes, podendo, mesmo, em certos casos, tornar-se praticamente inaparente.

Apesar desta advertência prévia, muitos(as) pacientes costumam olvidar-se dos detalhes que são transmitidos durante a consulta inicial e passam a preocupar-se especificamente com a presença das cicatrizes, no período pós-operatório imediato e mediato.

A cirurgia da face, pescoço e pálpebras rejuvenesce visualmente esses territórios. “Ela retarda mas não interrompe o processo evolutivo do organismo”. Em alguns casos, há necessidade de um retoque da pele (que se encontra frouxa) da pálpebra inferior, após certo tempo.

Alguns casos de rugas muito acentuadas na face, pescoço e mento, necessitam ser reoperados após 1 ou mais anos, a fim de se complementar o resultado obtido na primeira operação.

Tanto a anestesia geral quanto a local ou a associada são utilizadas. Dependendo do seu caso, tomaremos a liberdade de sugerir-lhe a mais conveniente. O resultado final será o mesmo. O ato cirúrgico dura em torno de 120 minutos para a face e a fronte, e 90 minutos para as pálpebras e em torno de 120 minutos para a face/pescoço.

Sendo um procedimento cirúrgico, o tempo absoluto deixa de ter importância, pois, certos casos demandam maior desgaste de tempo em certas fases da cirurgia. O que importa é o resultado obtido e não o tempo de cirurgia.

Muito raramente ocorre dor no pós-operatório. A evolução das cirurgias estéticas é geralmente indolor. Ocasionalmente um ou outro caso poderão apresentar discreta dor, que poderá ser perfeitamente sedada com analgésicos de linha comum.

Você não deve se esquecer que, até que se consiga atingir o resultado almejado, diversas fases evolutivas são características deste tipo de cirurgia. Assim é que edemas (inchaço), “manchas” de infiltrado sangüíneo, hipersensibilidade de algumas áreas, insensibilidade de outras, são comuns a todos os pacientes; evidentemente, alguns pacientes apresentarão estes fenômenos com menor intensidade que outros.

Esperamos que você esteja neste grupo. Caso não esteja, não se preocupe. Dê tempo ao tempo, que o seu organismo se encarregará de dissipar todos estes pequenos transtornos.

 

 

 

Criação: Universo Virtual Internet | 32 3722-8460